terça-feira, 4 de abril de 2017

Perturbação da Hiperatividade com Défice de Atenção

Crianças e adolescentes com esta perturbação podem apresentar as seguintes características:

Défice de Atenção e Concentração tem dificuldades em:
- selecionar informações
- iniciar atividades
- manter a atenção até ao final de uma tarefa
- prestar atenção a dois estímulos em simultâneo

Impulsividade tem dificuldades em:
- refletir antes de agir
- prever as consequências das suas ações
- planificar atividades
- seguir normas estabelecidas

Hiperatividade tem dificuldades em:
- excesso de movimento corporal (atividade quase permanente e incontrolada sem finalidade concreta)




Outras características apresentadas por estas crianças:
  1. baixa tolerância à frustração
  2. baixa auto-estima
  3. dificuldades em seguir normas
  4. desmotivação escolar
  5. rendimento escolar oscilante
  6. dificuldades em respeitar a sua vez
  7. precipitação nas respostas
  8. pouco populares entre os pares
  9. fazem barulhos ou sons desadequados
  10. são imprevisíveis
  11. são distraídas
  12. parece que não escutam
  13. perdem ou esquecem o material escolar
  14. podem ser lentas a copiar a informação
  15. dificuldades em adaptar-se às mudanças
  16. reagem de forma desproporcionada quando provocadas
  17. podem ser facilmente exploradas pelos outros
Problemas de aprendizagem e linguagem associados
  • leitura e ortografia
  • matemática
  • linguagem oral
Estes problemas podem levar a implicações no normal desenvolvimento da criança, que sem uma intervenção adequada e pluridisciplinar estas crianças podem apresentar:
  • Dificuldades de aprendizagem (insucesso escolar)
  • Baixa auto-estima
  • Problemas emocionais (depressão/sentimentos de desconfiança/insegurança)
  • Problemas de comportamento e de personalidade
  • Dificuldades nas relações familiares e sociais.
A criança e a sua família podem estar numa situação de grande sofrimento e necessitam de ajuda para a adequada abordagem destes problemas.

Fatores que podem piorar o prognóstico:
  • Diagnóstico tardio
  • Fracasso escolar
  • Educação demasiado permissiva ou excessivamente rígida
  • Ambiente familiar marcado pelo stress e/ou hostilidade/violência
  • Problemas de saúde ou atrasos no desenvolvimento
  • Problemas familiares (alcoolismo, patologias psiquiátricas)
Fatores que ajudam a uma boa evolução:
  • Diagnóstico precoce
  • Educação coerente
  • Estabilidade familiar
  • Adaptação e compreensão dos professores
  • Colaboração entre os pais e a escola

É importante recordar que as crianças com este transtorno têm também grandes virtudes e o convívio com elas pode ser muito enriquecedor! Frequentemente manifestam uma grande expressividade afetiva, um pensamento rápido e intuitivo e uma grande criatividade e sensibilidade!




Cumprimentos Terapêuticos
Diana Moreira
Terapeuta da Fala



sábado, 7 de janeiro de 2017

Consciência Fonológica - Junção Silábica

Olá caríssimos!

Há muito tempo que não dava notícias... Mas o envolvimento noutros projetos fizerem o tempo diminuir drasticamente!

No entanto, em breve há um material completo sobre todas as etapas da consciência fonológica, com atividades em papel e muitos jogos (que as nossas crianças adoram) que serão divididos em 3 etapas: Consciência da Palavras, Consciência da Sílaba e a Consciência do fonema.

Enquanto isso, segue um material também de consciência fonológica, de onde a ideia e a imagem de fundo foi retirada de outro jogo encontrado online! Todo o resto, escolha de palavras e imagens foi feita por mim.

O objetivo é treinar o ouvido da criança (como toda a consciência fonológica), onde o terapeuta diz as sílabas que aparecem no cartão e a criança adivinha qual foi a palavra dita. Atenção que isto é uma atividade de CF, assim a base terá de ser sempre a oralidade. Caso queiram trabalhar a leitura, aí já é diferente, mas ele foi construído pensando na CF.
Tem 50 palavras, com diferentes graus de dificuldade, umas com constituição silábica CV-CV, outras vão variando, CVC, CCV, CCVV.

Fica o exemplo...


2 altamentes (PDF)

e...
BOM ANO

Beijinhos terapêuticos
Diana Moreira